segunda-feira, 9 de julho de 2012

ENTREVISTA DE TOM MESEREAU À ICONIC MAGAZINE



Thomas Mesereau
Entrevista Exclusiva
À Iconic Magazine

Traduzida por Daniela Ferreira para o blog The Untold Side of the Story
Fonte: Iconic Magazine, edição de 7 de junho de 2012

IM: Iconic Magazine
TM: Tom Mesereau

IC: Primeiramente, nós queríamos dizer muito obrigado a você pelo que você fez por Michael, durante o julgamento. É uma honra agradecer a você pessoalmente.

TM: Michael era uma pessoa maravilhosa, muito amoroso, muito decente, muito espiritual, um gênio musical além da comparação, e obrigado a você por seu interesse e elogios.



IM: Como vice se tornou um jurista?

TM: meu pai era um graduado da United States Military Academy em West Point e teve aulas na faculdade, embora ele não fosse um advogado, sempre sugeriu que se eu não tivesse certeza do que eu queria fazer na minha vida, eu deveria ir para faculdade de Direito. Ele considerava educação muito valiosa e ofereceu muitas oportunidades para  diferentes coisas: se políticas, negócios, direito ou um especialista em lei. Ele sempre me incentivou a considerar isso. Em, em certo momento eu pensei em ser um jornalista, e na verdade eu fiz um mestrado no LS, em Londres e comecei a faculdade de direito nos anos seguintes.  Na verdade, dois meses depois eu senti que eu senti que não queria estar na escola, assim, eu falei para o Reitor e nós concordamos que  eu deveria sair por um ano. Eu explorei opções em trabalho de correspondência estrangeira e jornalismo durante aquele ano e acabei decidindo voltar para a faculdade de direito e isso é o que aconteceu.

IM: Então, depois que você deixou a faculdade de direito, você conheceu a adorável Susan Yu. Como você a conheceu?

TM: Eu estava em um espaço sublocado, em outro prédio, dentro da firma de advocacia, ela estava com uma firma de obrigação civil, nós nos tornamos amigos e, em certo ponto, decidimos abrir nosso escritório juntos.

IM: Juntos, depois que vocês abriram o escritório e, eu tenho certeza, depois de muito sucesso, vocês foram contatados pela família Jackson. Está correto? Como eles entraram em contato com você pela primeira vez, em relação ao caso de Michael?

TM: Eu estava defendendo o ator Robert Blake, em um caso de homicídio de lato perfil, em Los Angeles; ele foi acusado de matar a esposa dele e , naquele momento, esse era o caso de maior visibilidade nos Estados Unidos. Enquanto eu o estava defendendo o Rancho foi invadido , em novembro de 2003. Eu tinha tirado dez dias de descanso para me preparar para o julgamento por homicídio de Robert Blake, em fevereiro de 2004, desligando meu celular e me afastando de tudo isso. Quando eu estava dirigindo para casa, eu liguei meu celular e dentro de um minuto ele estava tocando sem parar. Pessoas em volta de Michael Jackson, em Las Vegas, onde ele estava naquele momento, estavam desesperadamente me pedindo para voar de encontro a ele e eles disseram que ele queria que eu o defendesse. Eu disse a eles que eu não poderia servir a  dois mestres ao mesmo tempo. Seria muito antiético para mim, pegar o caso dele, quando eu estava já estava no caso de Robert Blake há quatro meses. Eu disse se Michael Jackson for acusado, isso será um caso muito maior que o caso de Robert Blake, mas eu tenho obrigações com meu cliente atual e eu não vejo como eu posso, eficientemente, trabalhar nos dois ao mesmo tempo.  Eu conhecia Randy Jackson há anos, mas eu nunca tinha encontrado Michael. As ligações continuaram vindo e eu continuei dizendo que eu e estava muito lisonjeado, mas isso não seriam, em minha opinião, profissional e ético. Eu estava no meio da seleção de um júri para o caso de Robert Blake e ele e eu tivemos uma grande desavença, o que continuará confidencial. Eu acabei me desligando do caso e em muito pouco temo, Randy Jackson me ligou e disse: “Olhe, nós sempre quisermos você, você não está disponível?” Eu acabei fazendo uma viagem secreta para a Florida para encontrar Michael pela primeira vez. Eu fiz algumas perguntas e voei de volta , tudo secretamente, e dentro de  um período muito curto de tempo, Randy disse: “Depois que você entrevistou Michael, ele disse que não quer ninguém mais.” É claro, eu disse a todos eles que o único advogado que eu insistia que fosse parte do time era Susan Yu. Ela é realmente brilhante, criativa advogada, que trouxe uma lida perspectiva para entender evidência e estratégia.  Tanto Randy quanto Michael sabiam  sobre ela e a queriam também. Havia alguns outros advogados, que estiveram com o time, eles, é claro, queriam se livrar de Mark Geragos e Bem Brafman e alguns desses advogados continuaram, mas tão logo eu fiquei preocupado e Michael ficou preocupado, Tom Mesereau e Susan Yu eram os principais advogados na defesa dele e foi assim que começou.

IM: Esta foi uma escolha muito sábia dele! Antes de seu apontamento como advogado, qual foi seu sentimento pessoal sobre o caso e qual era a sua opinião sobre o que estava acontecendo?

TM: Eu sou muito cético sobre o que a mídia diz, em geral. Eu tinha seguido à distancia o caso Chandler, em 1993 e eu certamente era um grande admirador do falecido Johnnie Cochran, que representou Michael Jackson naquele capítulo. Quando eu li sobre isso, eu fiquei muito suspeitoso por diversas razões. Claramente a mídia estava se alimentando de Michael Jackson e salivava sobre esta chocante estória. Mas isso não fazia sentido para mim, que um pai, cujo o filho foi molestado, iria abrir mão de uma investigação criminal e pedir apenas por dinheiro. Isso nunca vez sentido para mim. Quando eu estava defendendo Robert Blake, Johnnie Cochran e eu recebemos prêmios como advogados de defesa criminal em Los Angeles e ele era alguém que eu via como um exemplo e um herói. Eu amis tarde soube que ele tinha recomendado a Michael e Randy que me contratassem como advogado de defesa. Mas eu estava apenas cético sobre este grande frenesi da mídia  que estava começando a crescer em torno de Michael Jackson. Eu tenho visto o bastante da mídia para saber que ela faz com as pessoas. Meu sentimento era que isso era um aumento, uma estória  exagerada, que a mídia estava criando e eu estava muito cético.

IM: Dentro de tudo que aconteceu com Michael, era difícil para ele confiar nas pessoas. Como você trabalhou em ganhar a confiança dele?

TM: A primeira coisa que eu tive que fazer foi aprender sobre a evidência e o cliente. Eu não conhecia Michael Jackson. Eu não conhecia a evidencia; A mídia já o estava condenando antes que eu tivesse a chance de olhar para qualquer coisa.  Eu estava muito impressionado pelo o que a advogado anterior dele estava fazendo. Ele parecia estar tão excitado por estar no caso e gostava tanto da mídia que eu não achava que ele estivesse ajudando a situação. Portanto, eu abordei isso com um estado mental muito neutro. Eu queria saber quem era a pessoa, o que ele gostava, de onde ele veio, o que influencia a personalidade dele, o desenvolvimento dele e a vida. Eu queria pensar objetivamente, ver o que a promotoria pensava que eles tinham e chegar a minha própria conclusão. É claro, eu tinha me encontrado com Michael Jackson, conversado com ele profundamente sobre a vida dele, a situação e sobre quem os acusadores dele eram e não demorou muito para eu concluir que ele não era capaz de fazer aquele tipo de coisa. Eu quero dizer, a noção de que Michael Jackson tinha, antes de tudo, molestado crianças e prejudicado uma criança, que tinha câncer, e maliciosamente dado álcool para entorpecer essa criança para praticar atos perversos, não fazia sentido para mim. Ele não parecia ser o tipo de pessoa que seria ao menos capaz de imaginar esse tipo de comportamento. Se você adicionar a isso que eles o estavam acusando de ser o cabeça de uma conspiração criminosa para encarcerar uma família, sequestrar crianças e cometer extorsão criminosa, novamente, isso parecia ser absurdo. Daí, é claro, nós começamos a encontrar informações sobre os acusadores dele eu comecei a perceber que a família tinha tentado algo similar com a Loja JC Penny e eles tinham histórico de se aproximar de celebridades como George Lopez e Chris Tucker para conseguir dinheiro. Havia muito mais sobre eles que era questionável. Depois, eu comecei a me informar mais sobre o caso Chandler, em 1993, e quão suspeito tudo isso aprecia. A promotoria apresentou evidência de que outros jovens tinham sido molestados, como Mcaulay Culkin e Wade Robson e nós começamos a nos aproximar deles e, é claro, eles estavam sobre tremenda pressão para não participar do julgamento, porque a mídia tinha passado a impressão para o mundo todo de que ele não tinha chance de vencer esse julgamento. Daí, eu descobri que Chandler não queria nada com esse julgamento e ele tinha, aparentemente, voado para a Europa para ficar além da busca da promotoria e do delegado para ele testemunhar.
Eu comecei a olhar para o outro acusador que disse que nada tinha acontecido e, depois, ele e a mãe dele queriam uma enorme quantidade de dinheiro, então, a mãe dele queria vender a história dele para tabloides. Eu comecei a olhar para os inúmeros processos contra Michael Jackson, pelos empregados de Neverland e outros; e eu tive que voltar e perceber que o mundo de Michael Jackson não diferente de qualquer outro mundo, e ele era percebido como tão vulnerável, tão infantil, tão criativo e alguém que não queria entrar em um tribunal e gastar dias e semanas com advogados e deposições, questionamentos cruzados e coisas desse tipo; e, de repente, isso começou a ficar claro que isso era um esquema, era uma fraude  e a promotoria, a polícia e o delegado estavam cegos pelo próprio desejo de fama. Eles estavam vendo apenas o que eles queriam ver e ignorado o outro lado das cosias. Eu chequei a conclusão de que este homem era completamente inocente, que era incapaz de cometer esses alegados crimes e nós tínhamos que provar isso no tribunal.

IM: Você mencionou os Chandlers. Originalmente, eles concordaram em aceitar o acordo para não ir a julgamento. Como foi isso, eles estavam autorizados a testemunhas neste caso?

TM: Antes de tudo, como parte de um acordo no processo civil nos Estados Unidos, você não pode concordar em não testemunhar em um processo criminal; isso seria contra a política pública e execução, portanto, você não pode a pagar dinheiro a alguém e tê-los, formalmente, concordando que eles não irão aparecer em um paralelo caso criminal ou não cooperar com o governo e a investigação. Isso é algo que você não pode fazer na América. Portanto, houve um acordo civil, eu olhei profundamente para dentro disso e tive a impressão de que Michael tinha sido aconselhado por várias pessoas a pagar o dinheiro e encerrar o capítulo. É claro, as pessoas que o aconselharam a fazer isso não estavam assinando o cheque, ele estava. Minha impressão foi de que eles estavam dizendo a ele que esta publicidade iria prejudicar a carreira dele e que a soma pedida era minúscula comparada com o que ele podia ganhar e ele acabou convencido de que era o melhor caminho a seguir. Mesmo que ele estivesse muito relutante, parece-me que Michael foi pressionado de muitas formas diferentes, por muitas diferentes pessoas a encerrar aquele capítulo, assinar o cheque e se livrar da coisa toda. Ele se arrependeu por ter feito isso como eu tenho certeza que todos vocês sabem e eu fiz uma declaração antes do julgamento criminal dele de que foi um grande erro fazer o acordo e que isso tinha apenas aberto uma Caixa de Pandora e levou outras pessoas a pensar “Por que trabalhar se você pode processar Michael Jackson?” e eu acho que foi a principal motivação por trás desse novo julgamento.

IM: Com certeza! Houve um significante dia que a mídia apelidou de “O Dia do Pijama”. Você considera que o juiz não foi razoável, dado que Michael realmente caiu no banheiro, por exigir que Michael viesse para o tribunal do hospital?

TM: Bem, eu preferiria que ele tivesse permitido mais flexibilidade a Michael, mas, dada a situação. Eu entendo a preocupação do juiz. Você tem que voltar e, antes de tudo, olhar para o caso OJ Simpson. O juiz naquele caso, que tinha uma forte reputação de ser um excelente jurista, teve a carreira dele arruinada, porque a percepção foi de que ele deixou o caso sair do controle. Ele não queria entrar em conflito com a promotoria e os advogados de defesa; deveria ter sido um julgamento curto e acabou levando nove meses. Depois do julgamento, nenhum juiz em Los Angeles permitiu uma câmera no tribunal até poucos anos atrás. Portanto, aqui, um pequeno juiz de Santa Maria, que estava, provavelmente, um pouco traumatizado pelo que ele viu acontecer ao juiz do caso OJ Simpson, estava lidando com um caso muito maior que o caso OJ Simpson, a maior cobertura midiática na história da América, na verdade, devido a quem era Michael Jackson. Ele sabia que esse julgamento tinha o potencial para sair do controle, para parecer um circo e realmente arruinar a carreira dele e eu penso que ele, provavelmente, viu Michael no capô da SUV, o que foi antes de eu entrar no caso, e sentiu que algo, provavelmente iria testar a energia dele. Quando eu soube o que tinha acontecido com Michael (cair no chuveiro) eu fui até o juiz e queria que ele conversasse com os médicos no hospital, mas ele se recusou e bateu o pé e disse “Se ele não estiver aqui em certo tempo eu irei revogar a fiança e coloca-lo na cadeia pelo resto do julgamento”. Eu fiquei horrorizado com isso, portanto fui eu quem disse a Michael e o pessoal dele: “Ele não tem tempo para ir para casa, ele não tem tempo de se trocar, ele tem que vir para o tribunal agora mesmo!”.

IM: Você considera que um caso televisionado teria beneficiado Michael sabendo como a mídia a estava contra ele?

TM: Teoricamente, isso poderia ter beneficiado, porque eu não acho que mídia estava reportando o questionamento das testemunhas pela defesa. Eu percebi que alguns repórteres distorciam os testemunhos por correrem para fora da corte e anulando o questionamento pela defesa. Claramente, uma câmera no tribunal mostraria mais dramaticamente o outro lado. Contudo, eu não mudaria nada, porque nós vencemos em todas as acusações. E ele foi completamente justiçado, em minha opinião, portanto, olhando para trás, eu não mudaria nada. Nós vencemos!

IM: Certamente. Como foi a decisão de que Michael não testemunharia?

TM: Essa é uma decisão que você sempre reserve tomar, até o último segundo. Você quer ver como o julgamento está acontecendo e como você percebe que o júri está reagindo.  Michael queria testemunhar e dar o lado dele da estória, no entanto, eu sentia como se ele já tivesse testemunhado no vídeo do documentário de Bashir e nas partes cortadas que não foram incluídas no Documentário de Bashir, ele tinha dito tudo que ele precisava dizer. Também, lembre-se de que ele fisicamente e emocionalmente devastado por esta experiência; ele estava exaustado, ele não estava dormindo, nem comendo. Eu estava conversando com ele às 3 ou 4 da manhã. Ele ligaria para Susan Yu às 3 ou 4 da manhã para falar sobre coisas e ele não estava em boa posição, física e emocionalmente. Todavia, eu o teria colocado para testemunhar se ele quisesse testemunhar, se eu sentisse que era necessário, mas eu senti, naquele estágio, que nós estávamos vencendo o julgamento. Ele abordou todos os assuntos que precisava abordar naquele testemunho no vídeo tape e não era necessário testemunhar.

IM: Quando o julgamento terminou, o mundo queria ouvir de Michael, ouvir o lado de das coisas. Você sabe por que a decisão foi que Michael permanecesse completamente em silencio?

TM: Michael e a família dele deixaram o tribunal vitoriosos! E foram diretamente para Neverland. Susan Yu e eu não demos uma conferencia de imprensa, embora muitos jornalistas no mundo inteiro quisessem, mas nós sentimos que nosso lugar era com Michael e a família dele em Neverland, assim, nós fomos para lá, também. Michael e a família dele estavam muito aliviados, muito agradecidos e não havia nenhum senso de estático júbilo. Havia uma sensação de gratidão. Isso era exatamente o que Michael queria fazer. Ele precisava se curar, fisicamente e emocionalmente, ele parecia simplesmente horrível no dia do veredito, eu tenho certeza que vocês se lembram disso. As bochechas dele estavam chupadas, parecia que ele não tinha dormido por semanas e tinha dificuldade para comer, infelizmente. Ele iria para casa depois de um dia em julgamento e todo mundo em Neverland tinha assistido a cobertura na TV, que era muito dirigida ao resultado que a eles mais audiência que justiça, dessa forma, ele iria para casa pra esta perturbadora discussão sobre o que a mídia estava dizendo e o que estava acontecendo no tribunal. Ele tinha que ser perturbado por isso, mesmo com Susan Yu e eu encorajando-o sobre o caso estar indo bem. Nós não podíamos garantir o que o júri iria fazer, mas estava indo bem e nós estávamos esperançosos de que ele seria absolvido de todas as acusações. Inobstante, você está no meio do ambiente da mídia assim e você é muito desconfiado pelo sistema em geral, ele estava aterrorizado pelo que poderia acontecer aos filhos dele, a ele. Ele tinha que se curar de tudo isso.

IM: Depois do julgamento, Michael deixou Neverland e decidiu sair pelo mundo. Isso foi por sua instrução ou escolha dele mesmo?

TM: Definitivamente, isso foi escolha dele, mas foi minha recomendação, minha muito forte recomendação. Lembre-se de que o condado de Santa Barbara está ao norte de Los Angeles, onde eu tenho escritório e eu nunca tinha tentado um caso no Condado de Santa Bárbara. Santa Maria é uma cidade de blue colar classe trabalhadora muito conservadora. É um lugar de pessoas muito agradáveis, bela paisagem. É o lugar onde Michael decidiu viver; ele adorava passar o tempo lá; ele criou Neverland. No entanto, eu vivi lá durante o julgamento e eu não tive um pressentimento muito bom sobre o promotor e o delegado dele; e minha sensação foi de que eles estavam devastados pela derrota, eles se sentiram humilhados diante do mundo inteiro. Quando Susan e eu os encontramos pela primeira vez, eles estavam caminhando nas nuvens, eles estavam no topo do mundo, eles sentiam que eles iriam vencer o maior caso da história. Depois disso, eu tive a sensação de que eles estavam muito envergonhados pela derrota que eles fariam qualquer coisa para pegar Michael Jackson. Eu sentia que ele nunca viveria em paz lá, novamente. Eu direi a vocês exatamente as palavras que eu usei:
“Michael, esta é uma rede de caras brancos. Eles foram humilhados. Eles nunca tiveram o governo olhando sobre os ombros deles quando isso se tornou uma questão racial, como nos estados do Sul e esses caras controlam o show e eles nunca lhe deixarão em paz. ‘O tempo de Neverland’ passou e você precisa se mudar para algo novo. Abra um capítulo melhor na sua vida.” Eu recebi ligações de pessoas em torno dele que ficaram chateadas com essa recomendação. Eles me perguntaram se eu tinha informações específicas sobre algo que iria acontecer. Eu disse “eu não preciso disso, eu apenas sei, e, pelo que eu tenho visto, este não é o lugar para ele viver, novamente”.

IM: Certamente! Ele alguma vez expressou os sentimentos dele sobre a América.

TM: Bem, depois que eu fiz essa recomendação, a próxima vez que eu soube dele, ele estava ligando para Susan Yu do Oriente Médio e todo dia Michael ligaria para Susan do Bahrain, para assistência na transição. Eu nunca abordei esse tema com ele novamente, para ser honesto com você. Eu certamente soube, exatamente com você, o quão triste ele estava com a América, nosso sistema de justiça e o jeito como ele foi tratado. Quem pode culpa-lo, é claro! Mas eu nunca diretamente abordei isso com ele.

IM: OK! Uma coisa que eu quero tocar com você, uma das alegações mais ridículas de todo o julgamento, exceto pelas acusações de abuso sexual, foi a alegação de sequestro. Isso é tão ridículo que é risível. Como os outros nunca estiveram no tribunal?

TM: Havia uma séria razão estratégica para eles fazerem isso. Antes de tudo, nós temos uma concepção no direto americano chamado “Prova Ouvi Dizer” o que é uma declaração extra-tribunal, feita por alguém que não está no tribunal para ser questionado. Em outras palavras, se alguém diz alguma coisa em Neverland, em teoria, você pode trazer isso para o tribunal, exceto se essa pessoa está definida para ser questionada. Há uma exceção para isso em um caso de conspiração, que é chamada de exceção Ouvir Dizer co-conspirador. Se uma alegação de conspiração é feita, alguém tem permissão para vir e testemunhar sobre o que aquele alegado co-cosnpirador disse; mesmo que aquele co-conspirador não esteja no tribunal para ser questionado ou testado em relação àquela alegação. Portanto, trazendo acusações de conspiração, você permite que essas pessoas testemunhem sobre o que outros co-cosnpiradores disseram ou fizeram fora do tribunal. Número dois: ao trazer acusações de conspiração e alegações de que todos estes outros indivíduos são co-conspiradores, você é capaz de assusta-los. Uma vez que eles descobrem que há a uma chance de ser acusados de conspiração criminosa, o que é uma acusação criminal muito séria, que pode levar à prisão, eles contrataram advogados e os advogados deles dizem a eles para não se envolver e aborrecer a promotoria – não ajude a defesa, salve sua própria de pele. Dessa forma, o que nos restou foi ter essas pessoas testemunhando sobre o que aquelas pessoas disseram ou fizeram. Toda vez que eles pensavam que alguém iria ajudar Michael Jackson, eles ajuizavam um documento chamando-o de co-conspirador para amedronta-lo. A terceira razão era que eles queriam fazer Michael Jackson parecer um monstro e um gênio criminoso, que não tinha problemas em sequestrar e ameaçar uma família. Eles pensaram que essas acusações extras o fariam mais condenável, e permitiria que eles o desvalorizassem mais, diante de um júri. Lembre-se de que é uma comunidade muito conservadora, onde a taxa de condenação é muito alta. Essas eram as três razões principais para eles trazerem essa acusação, eu penso e, obviamente, o tiro saiu pela culatra!

IM: Isso é absurdo, pelo que você acabada de dizer, isso parece completamente inimaginável!

TM: Nesse sentido, eles provavelmente nos ajudaram! Porque as acusações eram tão absurdas.

IM: Saindo do julgamento, como era o seu relacionamento com Michael?

TM: Quando Michael se mudou para o Oriente Médio, eu falei com ele um par de vezes, mas nós não estávamos muito em comunicação. Houve um período de nove meses, quando Susan Yu estava falando com Michael e Grace regularmente. Eu meio que ajudava Susan de tempo em tempo, quando ela o estava ajudando com a transição; tudo sobre lidar com executivos, vender animais de Neverland, você nomeie isso. Ela estava gastando muito tempo, mais que eu. Portanto, eu não estava realmente falando  muito com ele, apenas de vez em quando e, usualmente, a preocupação era relacionada a negócios. Eu não fui realmente parte da vida dele em um sentido pessoal depois do julgamento. Eu tinha o sentimento de que eu tinha feito o trabalho que eu estava lá para fazer. Eu disse a ele a primeira vez que eu o encontrei, “Michael, eu sei que você não está acostumado a ouvir isso, mas eu não estou aqui para entrar no seu império do entretenimento e financeiro! Eu estou aqui para vencer o caso criminal!”

IM: Quando você fala sobre o julgamento, você parece muito passional sobre o trabalho que você fez, especialmente por Michael. Por que isso? Você formou uma conexão com ele?

TM: Sim, eu acho que formei! Esta foi a hora mais sombria dele. Eu o conheci, provavelmente, no pior capítulo da vida dele, quando ele estava simplesmente aterrorizado, deteriorando fisicamente e psicologicamente e simplesmente morrendo de receio de perder os filhos dele. Ele não podia acreditar que ele estava nessa situação. Eu o vi como um espírito criativo, muito vulnerável e com coração maravilhoso, com um jeito humanitário muito generoso e desejo de mudar o mundo de uma forma positiva. O fato de que ele foi jogado nesta masmorra legal pelo sistema criminal americano é simplesmente repugnante. Assim, eu vi quem ele era, senti quem ele era, eu percebi a injustiça de todo o processo. Eu desenvolvi uma lealdade muito passional lá e eu não deixei isso interferir em minha objetividade; você tem que dar um passo atrás, objetivamente, e, periodicamente, ver como um caso está se desenvolvendo, como as coisas parecem, legal, e factualmente. Apesar disso, eu desenvolvi um sentimento passional por ele e um passional desgosto por essas acusações e o que a promotoria estava tentando fazer.

IM: Você trabalhou com Aphrodite Jones, também. Você a ajudou fazer o livro dela? Como foi trabalhar com alguém que, primeiro, estava pensando o oposto completo?

TM: Eu não confiei nela no início! Eu a conheci no caso Robert Blake, ela estava cobrindo o caso. Eu notei que ela era muito agressiva! Quando eu entrei no caso de Michael Jackson, ela tentou falar comigo e eu dei a ela um olhar gelado. Ela parou, e eu não quis nada com ela, eu não estava falando com ela. Eu penso que foi cerca de um anos após o veredito que nós esbarramos um no outro, em uma galeria em Beverly Hills. Ela me disse que ela estava repensando a forma como ela cobriu o julgamento e o que a mídia fez com Michael Jackson. Eu ainda não confiei totalmente nela, por isso eu disse “Olhe! Todo mundo pode cometer erros na vida, mas certamente esse é um grande que você comentou, e minha opinião! Mas se você quer alguns fatos, envie um rascunho para mim e eu posso dar uma olhada, eu mesmo, e decidir se eu realmente acredito em você, você é bem vinda a fazer isso.” Ela começou fazendo isso e eu tive a impressão de que ela estava embarcando em algo que iria afazer um grande serviço a Michael e à família dele aos fãs dele em todo o mundo, assim, eu a ajudei e não fui pago por isso. Eu pensei quer era a coisa certa a fazer e ela acabou sendo fiel à palavra dela.

IM: É um livro muito bom, se pelo menos Michael o tivesse lido. Como você se sentiu depois que soube que Michael tinha falecido?

TM: Bem, eu fiquei em choque! Minha primeira reação foi negação, porque durante anos eu escutei tantos falsos rumores sobre Michael. Eu esperava que isso fosse outro absurdo da mídia! Eu estava no meio de um julgamento, em Los Angeles, com Susan e nós estávamos saindo do tribunal e a namorada de Randy Jackson, naquela época, que estava nos assistindo com um aspecto de computador do nosso caso, disse que Michael tinha morrido. Eu entrei no tribunal e dois oficiais vieram a mim e disseram o mesmo. Eu liguei para meu escritório e minha secretária eletrônica estava cheia, pessoas do mundo inteiro tentando saber minha impressão sobre isso. Eu fiquei tão chocado e devastado e eu não queria acreditar nisso.

IM: Quando nós tivemos o julgamento contra Conrad Murray, você pensa que as acusações certas foram feitas contra ele?

TM: Eu penso de um prático ponto de vista. Eu posso entender porque a família e os fãs pensam que homicídio em segundo grau era mais apropriado! Era apropriado, dado o que ele vez, mas como um experiente advogado criminal, eu senti que com uma acusação de homicídio em segundo grau, dada a ausência de antecedentes criminais e os fatos do caso, o júri poderia começar a sentir empatia por ele, se eles sentissem que ele enfrentando passar a vida da prisão. Eu tinha medo de saber como eu tenho usado excesso de acusações de promotores para minha vantagem. Eu senti que a coisa mais importante era condená-lo e responsabilizado, tirar a licença médica dele, encarcera-lo e enviar a mensagem de que médicos não podem fazer aquele tipo de coisa às pessoas. Eu estava mais preocupado sobre ele ser condenado e ser responsabilizado que sobre a severidade das acusações, que podem, facilmente, ser um tiro pela culatra! Eu defendi casos nos quais as pessoas poderiam ter sido condenadas por agressões, mas eles foram acusados de tentativa de homicídio, porque a promotoria queria carregar nas acusações e assombrar essas pessoas. Eu olhava para os jurados e dizia: “Vocês sabem que não houve nenhuma tentativa de homicídio aqui! Isso é abuso de poder.” Portanto, de um prático ponto de vista, eu penso que as acusações foram corretas.

IM: Concordo! Para nós isso foi como uma montanha russa emocional e nosso time também fez manifestações e petições para revogar a licença dele. Esse era nosso principal objetivo. Ninguém nunca irá pagar o bastante pelo que ele fez!

TM: A licença foi tirada dele, ele é um criminoso condenado pelo resto dos dias dele e ele está na prisão! Portanto, isso pode não ser o número de anos que as pessoas queriam, mas ele foi responsabilizado!

IM: Você acha que a promotoria fez um bom trabalho neste caso?

TM: Sim! Eu penso que eles fizeram um excelente trabalho! Eles fizeram tudo perfeitamente. O promotor era muito agressivo, mas profissional ao mesmo tempo. Ele não estava acima do topo de forma que ele pudesse perder a credibilidade e eles simplesmente fizeram um excelente trabalho naquele dia.

IM: Nós terminaremos a entrevista com uma nota positiva. Se você tivesse a oportunidade de dar a Michael um pequeno conselho hoje, qual seria?

TM... o conselho que eu daria a ele seria para ser mais cuidadoso com as pessoas em volta de você, você confia demais! Você é muito generoso! Você é muito vulnerável com pessoas que vem a você e dizem que elas irão resolver suas dificuldades, cuidar dos seus negócios para você ser mais criativo. Você deve ser mais cuidadoso em quem você confia!

IM: Esse seria um conselho muito bom, Tom! Foi simplesmente maravilhoso conversar com você e agradecer a você por passar um tempo conosco. Você se importaria se nós enviássemos a você uma cópia da revista?

TM: Eu adoraria ver isso!

IM: Obrigado, novamente, por tudo que você fez durante o julgamento e em nome de todos os nossos leitores, obrigado.

TM: Obrigado a todos vocês! Eu sou muito honrado e privilegiado por ter conversado com vocês.

Iconic Magazine agradecerá, mais uma vez, a Tom Mesereau por nos proporcionar esta esclarecedora entrevista!

Créditos: http://theuntoldsideofthestorymj.blogspot.com.br/

...................

25 comentários:

  1. Fernanda Capucho09/07/2012 23:55

    Muito bacana essa entrevista!
    Ele realmente fez um ótimo trabalho.

    Michael é inocente do início ao fim,e com certeza o que fizeram com ele foi uma sujeira,foram pessoas de má índole,pessoas sem escrúpulos,sem caráter,pessoas sem coração.

    Sempre quando leio qualquer coisa a respeito do julgamento,por mais "vitorioso" que ele possa ter sido,me dá realmente um aperto muito grande no coração,pensar o quanto nosso anjo sofreu,realmente dói na alma.

    Mas eu acho muito gratificante ler também que a verdade foi estampada naquele tribunal,e para as pessoas que realmente tem algum senso de justiça,pessoas esclarecidas e não manipuladas,são minoria realmente,mas é a parte de tudo isso que importa! E acho que a verdade deve ser propagada sempre.Doa a quem e o quanto doer,no nosso caso dói de saudade e de aperto no peito por imaginar o quão difícil foram aqueles dias a ele.

    E nada me tira da cabeça que essa decisão de Michael "morrer", foi para se proteger de algo.

    Pode parecer absurdo o que direi agora,mas esse texto despertou em mim algo,quando ele diz que Michael mudou de país para se "proteger" após o julgamento,algo tocou em mim,quem sabe o que realmente aconteceu?? e por razão de quem realmente essa "morte" pode ter sido provocada?? para mim parece algo a se pensar e refletir.

    Também acredito que todas essas injustiças tiveram peso nessa decisão.Claro que ele não é do tipo de guardar rancor,mas sabemos que tudo isso foi uma grande decepção para ele,diante de tudo de bom que ele fez por esse mundo.

    Michael se doou,nunca merecia ter o ódio e a inveja como reposta.Mas admiro muito esse homem,porque sempre retribuiu com amor,apesar de tudo.E não o julgo por nada. Seja por qual motivo for essa "morte",sempre estarei com ele e por ele.

    O admiro e o amo cada dia mais,parece que esse amor que sinto não cabe no peito,mas sempre quando amanhece.. sinto como se tivesse triplicado de alguma forma.

    LOVE LOVE LOVE YOU MICHAEL.
    FOREVER <3.

    Bjãoo
    LOVE

    ResponderExcluir
  2. Eu admiro e respeito muito esse homem, eu acho que ele sabe que Michael esta vivo

    Mais lendo essa entrevista, me da uma sensação de que mesmo a justiça sendo feita e Michael ter saído livre de todas as acusações, não foi o bastante, não foi o necessário, a vida de Michael mudou completamente, isso marcou Michael para sempre


    Eu me sinto mau, foi uma tremenda injustiça, o estrago foi feito e não foi reparado, da um sentimento de indignação, e se eu me sinto assim, imagina Michael como se sente

    Espero que agora ele esteja tendo um pouco mais de paz, que ele tenha a felicidade que merece, que ele esteja vivendo uma vida mais tranquila, e não quero que ele volte

    Que Deus o abençoe e o proteja, e desejo o mesmo a Thomas Mesereau, ele não entrou na vida de Michael por acaso, foi Deus que colocou ele em seu caminho, e acho que ele sabe aonde Michael esta

    Por mais que ja sabemos as verdades dessa história das acusações, que sabemos que Michael é inocente, não tem como não nos sentirmos machucados, isso ainda dói muito, passe o tempo que passar sempre vai doer, eu não me conformo o que fizeram a Michael, não me conformo mesmo, acho tudo tão absurdo, eu não sei como ainda tem gente que não enxerga isso

    Bjs

    Love

    ResponderExcluir
  3. Sim amigas, é muito revoltante o que fizeram a Michael e dói demais retornar ao julgamento, mas precisamos retornar muitas vezes, porque tudo que aconteceu a Michael em sua vida e em sua "morte" está relacionado a essa tortura, esse sofrimento, covardia...esse julgamento que o expos e o humilhou diante o mundo e que nos fez enxergar muito além. Quanta sujeira, quanta podridão. Cutucar essa ferida que ainda lateja é muito importante.

    As vezes, olhando ou relendo lá atrás na época da inquisição, da escravidão, da ditadura...tentamos nos convencer de que houve uma mudança no ser humano, mesmo que imperceptível, mas as vezes ficamos realmente em dúvida se houve mesmo essa mudança ou se tudo permanece como antes e que apenas esconderam a podridão (que antes eram escancaradas e obrigatoriamente aceitas) por debaixo do tapete, usam a hipocrisia, se escondem atrás de seus atos desumanos e cruéis.

    É uma pena que em pleno século XXl ainda precisamos ver a covardia e engolir muitas atrocidades que o poder ainda faz por preconceito, racismo e por abuso desse poder.

    A entrevista inteira é muito importante, interessante e bem esclarecedora, principalmente o trecho em que ele aconselha Michael a fazer um novo capítulo em sua vida.

    “Michael, esta é uma rede de caras brancos. Eles foram humilhados. Eles nunca tiveram o governo olhando sobre os ombros deles quando isso se tornou uma questão racial, como nos estados do Sul e esses caras controlam o show e eles nunca lhe deixarão em paz. ‘O tempo de Neverland’ passou e você precisa se mudar para algo novo. Abra um capítulo melhor na sua vida.” Eu recebi ligações de pessoas em torno dele que ficaram chateadas com essa recomendação. Eles me perguntaram se eu tinha informações específicas sobre algo que iria acontecer. Eu disse “eu não preciso disso, eu apenas sei, e, pelo que eu tenho visto, este não é o lugar para ele viver, novamente”.

    Fiquei refletindo muito, embora eu sempre tive a convicção de que Michael precisou morrer para poder viver. Ou muda o capítulo ou morre.

    Essa entrevista foi muito esclarecedora.
    Ela também nos remete a canção “DS”

    Dom Sheldon (D.S)

    Eles querem chegar em meu traseiro
    Vivo ou morto
    Você sabe que ele tentou mesmo
    Me pegar de surpres
    Aposto que ele está em missão com a CIA
    Ele não faz metade do que ele diz
    Dom Sheldon é um homem frio
    Dom Sheldon é um homem frio
    Dom Sheldon é um homem frio
    Dom Sheldon é um homem frio
    Ele choca em todas as maneiras
    Ele é capaz de tudo para fazer seu discurso político
    Ele se acha o mau porque é BSTA
    Aposto que ele nunca teve vida social, de qualquer maneira
    Você pensa que ele se associa ao KKK
    Eu sei que sua mãe nunca lhe ensinou o certo, de qualquer maneira
    Ele quer seu voto para permanecer T.A
    E ele não faz metade do que diz
    Dom Sheldon é um homem frio
    Dom Sheldon é um homem frio
    Dom Sheldon é um homem frio

    Ele manda cartas para o FBI?
    Ele diz pra ou fazer ou morrer?

    Dom Sheldon é um homem frio
    Dom Sheldon é um homem frio
    Dom Sheldon é um homem frio
    Dom Sheldon é um homem frio

    ResponderExcluir
  4. Achei muito interessante isso, precisamos pesquisar mais sobre essa canção para fazermos uma postagem completa, ok? Que quiser ajudar, seja bem vindo.

    Alguma coisa eu já conhecia sobre essa canção, mas sobre o som do tiro no final ainda não tinha ouvido falar e nem notado isso, e realmente há o som de tiro. Michael sempre deixou claro a perseguição e conspiração que sofria com os poderosos.

    Ele precisou morrer, realmente não haveria outro jeito. Eles o encontrariam onde quer que fosse. O mundo se tornaria pequeno para essa busca e perseguição. Só mesmo morrendo e nascendo outra vez.

    Vejam alguns detalhes da música “DS”:

    Embora o álbum HIStory foi nomeado para o Grammy de Álbum do Ano e teve adicionais relacionadas com o Grammy nomeações, dificilmente qualquer música popular comentadores desde uma análise crítica da "DS" em suas opiniões do álbum. Análise da música apenas coberto geralmente a conexão com Tom Sneddon e gênero da música.
    No entanto, Fred Shuster do Daily News de Los Angeles descreveu "DS" como um excelente "[fatia ] de funk orgânico, que vai abastecer muitos andares, o verão mais movimentados de dança ".
    Muitas organizações da revista a peça em conexão com Sneddon. Fox News Channel e CNN expressou a opinião de que o "homem frio" das letras esta canção é Sneddon, como quando cantado, "Dom Sheldon S." soa muito perto de "Thomas Sneddon" .
    A BBC sugeriu que fazem referência a letra de uma "BSTA" soa semelhante a "SBDA", que significa "Santa Barbara District Attorney". The Guardian e The New York Times considerou que Jackson sugere "Sheldon" tem ligações à CIA e à Ku Klux Klan e ele só "quer o seu voto". Web site de Sneddon próprio trabalho indica que ele acredita que é o tema da canção, afirmando: "Ele é o DA só na nação para ter uma canção irritada escrito sobre ele por pop megastar Michael Jackson ". Da música, ele disse, "Eu não tenho, vamos dizer-lhe fez a honra de ouvir isso, mas eu tenho dito que ele termina com o som de um tiro".
    Apesar de não haver vídeo da música feita para "DS", tema da canção foi referenciado na curta-metragem Ghosts . Lançado em 1997 e estréia no 1996 Festival de Cinema de Cannes , foi escrito por Jackson e Stephen King e dirigido por Stan Winston . A história foi baseada frouxamente sobre os acontecimentos e isolamento Jackson sentiu depois que ele foi acusado de abuso sexual infantil em 1993. Na trama, o Maestro (interpretado por Jackson) é quase expulsos de sua cidade pelo prefeito (que, deliberadamente, é muito parecido com Sneddon) e os moradores, porque eles acreditam que ele seja um "freak". Possui muitos efeitos especiais e movimentos de dança com a música original, composta e coreografado por Jackson. O filme inclui várias canções e vídeos de música do álbum HIStory e sangue na pista de dança: História in the Mix .

    ResponderExcluir
  5. (continua)

    O vídeo de fantasmas é mais de trinta e oito minutos de duração e detém o Recorde Mundial do Guinnesscomo o vídeo mais longo do mundo da música.
    As alegações de abuso sexual infantil de 2003 resultou em um longo julgamento, dois anos depois . Sneddon foi o investigador principal de novo, assim como o promotor ensaio. O julgamento terminou com Jackson sendo absolvido de todas as acusações.
    As duas investigações que estão sendo controladas por Sneddon levaram a queixas de que ele foi motivado por uma "vendetta "contra Jackson. Evidência para apoiar essas reivindicações incluem Sneddon brincando sobre Jackson do álbum de greatest hits que está sendo lançado no mesmo dia da sua prisão e sarcasmo, dizendo: "Como o xerife e eu realmente está em que tipo de música". Ele, então, precedida de chamar Jackson "Wacko Jacko" e gritando "Nós o pegamos, finalmente conseguimos ele" para a mídia, quando ele tinha apenas começado uma investigação e se reuniram informação limitada ou evidências.
    "DS" foi cantada fora do tribunal por um grupo de fãs de Jackson todos os dias o julgamento teve lugar.

    http://en.wikipedia.org/wiki/D.S._(song)

    ResponderExcluir
  6. O que mais desejo é ver esse demônio do Sneddon apoderecendo na cadeia. Se eu dissesse o contrário estaria sendo hipócrita, serio mesmo. Porque é exatamente isso que eu desejo. Tenho ódio mortal desse homem.
    Eu sei que na teoria linda e necessária não se deve ter raiva, mas na prática muita coisa muda de figura em qualquer ser humano. EU TENHO ÓDIO MORTAL DESSE FDP. (desculpem, mas é espontânea e sincera essa minha reação)

    Como já disse várias vezes Willian Wagener em seus vídeos. Sneddon precisa apodrecer na cadeia, ele tem sua conta bancária elevadíssima as custas das vidas arrancadas com a sua covardia e corrupção. Ele colocou muitos inocentes na cadeia por dinheiro.
    Esse verme precisa apodrecer na cadeia.

    Espero com fé pela justiça divina, mas não consigo afastar esse ódio desse canalha.

    ResponderExcluir
  7. Sabe, mesmo me doendo por dentro, por querer Michael de volta, também prefiro que ele não volte mais.
    Prefiro que ele tenha paz, saúde e felicidade longe, com outra identidade...ou o que quer que seja, menos que ele volte a ser o alvo desses vermes, desses abutres.

    Vocês se lembram que logo que o fofo "morreu" foi postado e comentado em alguns blogs de uma ameaça que estaria sofrendo o show This is it? Disseram que Michael teria sofrido uma ameaça e que em seu show TII teria uma matança? Que o matariam e matariam também vários fãs??
    Li isso, mas tenho procurado por essas matérias mas não encontro mais nada a respeito.

    ResponderExcluir
  8. É Maíra, realmente é esse o sentimento que se nutre por Sneddon, ódio, repulsa,nojo,e não tem como desejar outra coisa, a não ser vê-lo podrecer na cadeia, e desejar tudo que há de ruim para um verme desses, que apodreça sofrendo muito

    Não vou te desculpar por isso, pois eu desejo o mesmo, e quem acha que devemos desculpas por desejar isso a esse nem sei qual o adjetivo que devo usar, é porque faz parte da mesma laia que ele, se fosse só para termos sentimentos bons, não existiriam os ruins, se isso for pecado, o que ele fez para Michael é o que?

    Aqui tem um vídeo com a musica DS, no final da musica Michael leva o dedo a cabeça num gesto como se fosse uma arma e vem o som de um tiro, no vídeo tem o demônio do Sneddon, da vontade de vomitar ao vê-lo

    Ja li tantas matérias falando o quanto esse homem não presta, li uma de pessoas que foram prejudicadas por ele, pessoas que lutaram contra ele e se deram mau, casos levados a justiça e que não conseguiram nada contra ele, ainda saíram prejudicados

    O que sei sobre a musica, é que Michael fez mesmo para ele, sera uma pesquisa bem desagradável, mais vou ver se acho alguma coisa a mais a respeito dessa letra, ai te passo

    Link do vídeo

    http://www.youtube.com/watch?v=026_wXsJFWc&feature=player_embedded

    Bjs

    Love

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quis dizer apodrecer, a repulsa é tanta que ate errei ao escrever

      E por mais bom que Michael seja, eu acho que ele tambem não tinha bons sentimentos por esse verme

      Love

      Excluir
  9. Eu tambem li essa matéria, e diz que Michael usaria o show para alertar sobre uma coisa muito grave que estava para acontecer, e que quem matou Michael foi a CIA, são matérias que hoje é difícil de se encontrar, inclusive falavam sobre o vírus da gripe aviária e de uma arma secreta, foi um militar das forças Russa se não me engano

    Love

    ResponderExcluir
  10. Amiga, sobre a cientista que viria ao show falar sobre o vírus e sobre o controle que tinham conforme suas vontades e necessidades, li no blog da fênix, mas não encontrei, como há muitas matérias lá muitas se perdem. Lá tem um vídeo de uma cientista falando sobre esse controle e sobre toda podridão que há por trás desse controle do vírus e da humanidade e tal... Ela foi passada por louca, como tantos outros, é claro.

    ResponderExcluir
  11. Maíra é esse o vídeo que vc fala da cientista? ela é ex Ministra da Saúde da Finlândia

    http://www.youtube.com/watch?v=RLGry2pVBcE

    Love

    ResponderExcluir
  12. Sim amiga, é esse mesmo!!
    Quanta podridão, né?
    É uma coisa tão inacreditável, que quem acaba sendo desacreditada é ela. Ela é a louca e etc.
    A população não consegue enxergar que a loucura não está em quem desvenda a loucura e sim em quem a pratica, não é?

    Li nesses blogs sobre esse assunto, que essa Dra. Rauni Kilde que iria estar presente em TII e faria revelações bombásticas que deixaria o mundo pasmado ou coisa parecida.

    Há muita coisa encoberta, muita, mas muita mesmo, isso é fato.


    Bjãooo
    LOVE

    ResponderExcluir
  13. Outro que fala sobre vacinas em crianças entre tantos, em quem confiar? Michael sabia de alguma coisa, pois ele se importava com as crianças, mais o que sera que ele sabia que precisaram calar ele de alguma maneira?

    É são todos loucos, assim como nós os fãs de Michael tambem somos chamados, não temos credibilidade assim como eles, Michael tambem é louco

    http://www.youtube.com/watch?v=H4bhwgXsbzA&feature=related

    Love

    ResponderExcluir
  14. Tô passada de novo, a cada lembrança e depoimento sobre esses fatos, que foram coisas de Revolução Francesa, que cortavam a cabeça do povo e depois da lamina jorrar sangue alguém dizia!!! Há ele era inocente, "mas passa para próxima da fila".

    Sangue, preconceito, inveja, um jogo de todos pecados capitais juntos,,, é muitos canalhas envolvidos. MEU DEUS O QUE ESSE MENINO FEZ PARA PASSAR POR ISSO??? Só acredito que para doer tanto só o holocausto, é a mesma sensação, ele era judeu,preto odiado e tinha que ser exterminado., não tinha o direito a ter tantas pessoas o amando e tanto dinheiro em seus cofres....... Tudo por poder e dinheiro. Espero que quando isso aqui explodir, porque vai,,,,, eu já esteja longe!!

    Perdão meninas, mas não haverá uma vez que reler esses depoimentos de pessoas que estiveram tão próximas, me choca a cada linha.

    Mas teve uma parte boa,,,,
    Gostei do conselho que ele daria a Michael!! Eu não sei vcs mas eu senti claramente mas um recado e esse foi via revista.

    o conselho que eu daria a ele seria para ser mais cuidadoso com as pessoas em volta de você, você confia demais! Você é muito generoso! Você é muito vulnerável com pessoas que vem a você e dizem que elas irão resolver suas dificuldades, cuidar dos seus negócios para você ser mais criativo. Você deve ser mais cuidadoso em quem você confia!

    Como se manda um conselho desse para um morto!! Achei super suspeito, a colocação das frases não o conteúdo em si. Porque seria normal a pessoa falar só uma frase já que isso seria gravado para ser impresso.

    Tipo que ele nunca deveria ter confiado tanto nos que se faziam de seus amigos,

    VOCÊ CONFIA DEMAIS!! VOCÊ É MUITO GENEROSO!! Se ai não houver algum erro de tradução isso é papo de quem esta enviando um recado para quem esta do outro lado, mas não da vida mas do planeta.

    Michael viva meu amor, viva e seja feliz , não deixe nunca mas alguém te ferir como fizeram, VIVA!! E SEI QUE É DIFÍCIL MAS TENTE ESQUECER, MUITOS AQUI TE AMAM TANTO QUE SUA IMAGINAÇÃO CRIATIVA TALVEZ NEM IMAGINE.

    Bjs

    ResponderExcluir
  15. E foi um conselho que talvez ja lhe foi dado na época do julgamento ou talvez da morte

    Legal a data da publicação da revista 07-06-12, que COINCIDÊNCIA, eu tenho uma vaga lembrança, mais é muito vaga mesmo, tão vaga que eu não consigo me lembrar de quem gosta e nem o que significa o n°7, mais uma hora eu ainda vou lembrar

    bjs

    Love

    ResponderExcluir
  16. Maíra, eu não acho nada alem do que ja sabemos sobre a musica DS,o que tem bastante é noticias sobre o demônio Sneddon e o Juiz do julgamento de Michael, e falando da ambição pelo poder político e pelas terras de Santa Barbara, incluindo as terras do Rancho Neverland, fizeram o que fizeram ate Michael sair de la

    Love

    ResponderExcluir
  17. "MEU DEUS O QUE ESSE MENINO FEZ PARA PASSAR POR ISSO???"
    Éh amiga...sabemos bem que ele não fez nada, seu "mal" foi ter nascido negro.
    E esse negro com coragem derrubou e ultrapassou limites impostos por um poder preconceituoso, racista, injusto, corrupto, covarde e hipócrita e por uma boa parte de uma sociedade do mesmo nível.
    Infelizmente é isso e Tom Mesereau deixou bem claro esse preconceito racista que houve contra Michael.

    “Michael, esta é uma rede de caras brancos. Eles foram humilhados. Eles nunca tiveram o governo olhando sobre os ombros deles quando isso se tornou uma questão racial, como nos estados do Sul e esses caras controlam o show e eles nunca lhe deixarão em paz."

    Infelizmente foi esse o x da questão.

    ResponderExcluir
  18. É Ana, tb não encontrei muita coisa. Mas do verme peçonhento é o que mais se encontra.
    Não falo que o lixo é mais divulgado do que as maravilhas?

    Esse lixo chamado sneddon já deveria ter sido recolhido há muito tempo, ele é tão podre por dentro que apodrece o ar, talvez seja por isso que Michael fazia questão de usar máscaras, pq o odor da podridão não lhe fazia bem.

    Eles querem tb as terras do Rancho Neverland??

    Caramba, isso deveria ter um fim.


    Meninas, assim que o fofo "morreu", surgiram muitas matérias em vários fóruns, hoje em dia vários desses sites foram extintos e se perderam muitas dessas matérias. Me lembro sobre um rascunho de um conto que Michael estava escrevendo com a data de 2006, em que ele falava sobre uma perseguição, falava tb sobre Prince...falava que eles iriam até o fim do mundo nessa perseguição e não sossegariam enquanto nos os matassem e tal... falaram que era um conto de terror que Michael estava escrevendo, não me lembro bem de como era esse conto, esse rascunho, vcs chegaram a ler sobre isso?
    Vcs guardaram essa matéria?
    Sei que guardei, mas como já disse, perdi várias delas com a catástrofe que aconteceu em meu HD.

    Bjãooo
    LOVE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ja vi tantas coisas Maíra, mais muitas são difícil de achar hoje

      Eles não só queriam Neverland como as outras propriedades tambem, veja um trecho aonde falam isso


      Sundaram participou também de um jantar de angariação de fundos privados em 1994, onde Tom Sneddon e outros funcionários do governo supostamente discutiu seus planos para se livrar de certos indivíduos em Santa Barbara que possuíam grandes quantidades de terra. Propriedade de Michael Jackson teria sido criado durante esta reunião; Sundaram afirmou que as autoridades queriam adquirir Neverland para vinhas.

      Vou postar o link aonde vc pode ver o que eles fizeram para outros donos de terras, e o que dei toda essa história

      http://www.rumormillnews.com/cgi-bin/archive.cgi?noframes;read=64536

      Love

      Excluir
    2. Caramba Ana, queria tanto aquela matéria sobre o rascunho do conto que ele estava criando em 2006, era tão interessante,mas realmente muitas matérias sumiram junto com os fóruns, é uma pena, né?
      Por isso sou contra o fechamento dos sites. Não é justo jogarem fora matérias sobre a história de Michael. Deveriam deixar o site trancado, já que não querem mais se dedicar a ele, mas com todas as matérias ali para quem quisesse ler. Acho uma tremenda falta de consideração ao Legado de Michael. Afinal os nossos propósitos não são esses: A propagação de Michael????
      Precisamos deixar arquivadas em nossos sites todas as matérias sobre a vida de Michael, e nunca jogar fora. Devemos deixar arquivadas para que as próximas gerações leiam, tudo isso faz parte do seu Legado.

      Vou ler esse link que vc mandou, amiga. Mas que corja mais nojenta, né?

      Bjãooo
      LOVE

      Excluir
  19. Fernanda Capucho10/07/2012 20:22

    É meninas,isso tudo que foi dito aqui é realmente triste.
    Essa é a palavra.Ver o Michael sendo injustiçado de uma maneira tão grave.E que mesmo ele provando o contrário,essa verdade foi "desacreditada",e até hoje existem pessoas que não acreditam em sua inocência.

    Michael foi condenado desde quando surgiu a acusação.E essa podridão se originou de interesses pessoais de pessoas sem escrúpulos.Como esse Dom Sheldon,sem mencionar os próprios "acusadores".

    Mas Deus é justo,não deixou essa história ficar impune,e Michael conseguiu provar sua inocência,e estamos aqui,propagando a verdade.Isso é muito importante,devemos propagar ao máximo as verdades de Michael.
    E Tom Mesereau é um excelente advogado,o admiro e respeito muito.
    Foi um belo trabalho e nada acontece por acaso.

    Maíra amiga,você está de parabéns pela iniciativa de propagar as verdades de Michael.E sempre que eu puder ajudar,pode contar comigo.

    Bjãooo
    LOVE <3

    ResponderExcluir
  20. Obrigada, amiga Fê. :)
    Agradeço de coração mesmo. É uma honra aos fãs serem recíprocos ao amor, atenção, respeito e todas as maravilhas que Michael sempre nos proporcionou, não é?
    Qualquer fã pode fazer algo, nem que seja o mínimo, doar 15 minutos de seu tempo para propagar algumas das maravilhas de Michael, ou algumas de suas verdades, basta um pouco de amor e dedicação.
    Já disse que aqui, esse blog está aberto para a propagação de todas as maravilhas e verdades sobre Michael. Tudo que há aqui é de Michael e nosso, de seus fãs e de todas as pessoas que não são fãs e que tenham o interesse de conhecer melhor esse homem gênio e humanitário e de todos que quiserem repassar, propagar...ou mesmo se utilizar dele para fazer alguma postagem nessa propagação de amor e reverência a Michael. ;)

    Sim, Mesereau é excelente e foi maravilhoso! Um anjo enviado para socorrer outro.

    Realmente, é muito triste, doloroso e revoltante o que fizeram a Michael.

    “Raiva é o primeiro passo para uma tomada de consciência. Se não sentimos raiva por algumas da iniquidades e injustiças de nossa sociedade, não há esperança para a transformação.” MJ

    Agradeço amiga, o apoio e união de vocês e toda ajuda é sempre bem vinda nessa propagação de Michael. ;)

    Bjãooo
    LOVE

    ResponderExcluir
  21. Não sei se vcs já viram, caso não, vale a pena conferir, é muito lindo!!
    Toda a magia de Michael espalhada no mundo e em milhares de corações.
    Michael meu Rei, amor incondicional sempre!!
    Agradeço por tantas maravilhas vindas de você!!

    vejam meninas:

    http://www.youtube.com/watch?v=-AzKNIbZMa4&feature=player_embedded#!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda Capucho11/07/2012 13:08

      Sim sim amiga,a união faz a força! E com certeza nossos esforços surte algum resultado,por mais limitado que seja.. já um resultado.Devemos sim propagar todo amor e toda verdade a respeito de Michael,tanto quanto podemos.
      Amiga que incrível esse vídeo!!!
      Nossa.. que lindoooooo!
      Amei amei esse vídeo,até baixei! rsrs..
      Lindo mesmo.Homenagem digna de um rei! Do nosso rei tão amado.

      Bjãoo
      LOVE <3

      MICHAEL I LOVE MORE.

      Excluir